quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

O viajante.

"simboliza o momento passageiro. A viagem traz a mensagem de preparação, antes da viagem; de equilíbrio, durante a viagem; e de reflexão, depois da viagem".
(Wu Jyh Cheng)

Tá eh legal, mas que eu me lembrei da novela "A viagem" não posso negarrrrr,kkkkk
É engraçado.

Lilith muuuito pastel.

Randomize good vibes.


Estou arrumando minha fazendinha no facebook. Sabem? O joguinho Farmville. Só que sou a administradora da fazendinha da minha mãe também... Só que na dela vieram monnnntes de prêmios e faixas comemorativas com coisinhas e, putz no meu num teve isso não! kkkk
Muito engraçado. Lembrei imediatamente de quando fiz curso de programação em basic, de quando eu tinha meu pré histórico CP 400 color (meu amorzinho de computador.) da Prologica. Posto aqui o vídeo de propaganda dele, com seus "64 super K de memória", pensem? Enfim tinha jogos maravilho-sos.
Mas eu me lembrei foi de um comando de programação: RND. Randomize.
Pensei nele de imediato, pois fiquei pensando que diabos de RND eh esse dessa fazendinha? O que me levou a todos os questionamentos que tenho feito em minha vida.
Randomize significa:
A função Rnd
Essa função irá retornar um número maior que zero e menor que 1 que pode ser convertido para um número inteiro compreendido em uma faixa de valores especificada. Por exemplo, suponhamos que estamos sorteando um prêmio para os participantes de um evento e que cada participante tenha recebido na entrada, uma senha numérica entre 1 e 100. ou seja: um sorteio aleatório como a mega sena de possibilidades.

Fiquei pensando em minhas possibilidades em 2010... Sabe...
Eu pensava que tinha bem menos possibilidades do que as que realmente tenho. Pensando nesse comando vejo que se Deus utilizou alguma programação aleatória assim...
Eu possuo TODAS as boas possibilidades e TODAS as ruins também.
Quer saber? Amanhã dou Auf wiedersehen pra esse ano de merde.
E farei questão de deixar um comando RND só nas possibilidades boas.
EU programo.
EU faço.
EU SOU.

Se eu sobrevivi a esse ano.
Que venha 2010!

Feliz Ano Novo a todos...

Lilith Happy!

Pleasure seeker 2 - Dystopia



É. Eu sou caçadora de prazeres mesmo.
Completamente hedonista. No momento estou me satisfazendo com música... com lembranças... com chuva na cara. Ai estou fazendo um esforço tremendo pra aprender a gostar mais de dinheiro, pra ver se atrai, mas nossa eu re-al-men-te NÃO ligo.
Mas infelizmente tenho que ter... ai que saco!
Nossa! A maioria das pessoas quando começam a se preocupar demais em sobreviver se esquecem do essencial à vida. Amor pelo que se é, vontade de ser mais alguma coisa, sonhar além, fome de conhecimento, paixão.
Descrição do hedonismo:
"A arte de ser é a sabedoria ascética do despojamento: não se cobrir de honras, de dinheiro, de riquezas, de poder, de glória e outros falsos valores ou virtudes, mas preferir a liberdade, a autonomia, a independência. A escultura de si é arte dessa técnica de construção do ser como uma singularidade livre. O hedonismo não é a mesma coisa que o consumismo, é exatamente o oposto. É o antídoto. O consumismo é o hedonismo liberal e capitalista que afirma ser a felicidade a posse de bens materiais."

Será que um dia consigo deixar de ser assim? Será que algum dia chegarei a desejar isso de verdade?
Enquanto isso vou escutando pra lembrar São Paulo... Midnight Juggernauts - Dystopia... e Jori Hulkkonen, alguns dos meus grandes prazeres na casa do Dan.
Pra esquecer esse ano dos infernos, que foi um dos piores da minha vida, tirando, claro o fato de viver em SP, da música, das baladas e... (sem mais detalhes ou direi o que não devo, ksc).
The end of 2009.

Lilith.

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

The pleasure seeker. quiz.

And your result is ...
The Pleasure Seeker
You love sex because of how it feels. Sounds strange, but not everyone is as keyed in to the sensual delights of physical pleasure as you are.

Just the feel of your lover's breath on your neck, the soft caress of their hand on your skin and the warmth of their lips on yours are enough to send you over the edge in a big way!

Your lover needs to be someone who enjoys silk sheets, massage oils, and scented candles.

You like it slow and relaxed so that you can savor all the wonderful sensations.

Sem mais comentários.

Lilith.

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Pesquisador descolado? Tinha que ser alemão mesmo....

Notícia descolada.
Uma nova espécie de aranha identificada por um pesquisador alemão foi batizada com o nome de David Bowie como forma de chamar a atenção do público para as inúmeras espécies de aracnídeos ameaçadas de extinção no planeta.

A Heteropoda davidbowie de tamanho grande e pelos amarelos, é encontrada apenas em algumas regiões da Malásia.

Em e-mail à BBC Brasil, o especialista responsável pela descoberta, Peter Jaeger, do museu de História Natural Senckenberg, em Frankfurt, disse que é fã do roqueiro britânico. "Eu gosto do seu repertório eclético desde os 13 anos de idade", disse Jaeger. "Nesse caso, especialmente, ocorre que a aranha tem uma aparência que lembra o visual antigo de David Bowie, quando ele usava maquiagem e roupas coloridas".

Vejam que simpática e fashion é a Heteropoda David Bowie:

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

Faveladys...


Eu e minha absurda mente divagadora. Conversamos sozinhas, por consequência fico rindo ou chorando sozinha, uma interação muito besta. Enfim.
Estou cá na lojinha do Consulado com minha amiga arrumando tudo pra trabalharmos hoje.
Ela comenta: Nossa precisamos ao menos deixar isso limpo!
não respondo nada...
Mas minhas idéias começam a interagir...
Voz 1: Sim, somos pobres mas somos "limpinhas", rs
Voz 2: Que frase imbecil, parece coisa de favelada, num tem um jeito melhor de falar isso? tipo assim mais descolado?
Voz 3: Faveladys!!!!!
Voz 1 de novo: ehhh, legal somos faveladys!

Começo a rir sozinha.
Minha amiga só fica olhando pra minha cara tipo: "que que deu nessa menina, Misericórdia???"

Meu. Isso é NORMAL? Toda vez que isso acontece eu me lembro do Pluto (o cachorro do Mickey) com as duas consciências dele (ele de anjinho e ele de capetinha) e o Pluto perdido no meio das duas, sem saber quem seguir coitado.

Minha cara, rs.
Ah outro dia foi a mesma coisa...
Eu faço moda mas detesto certas viadagens do meio,tipo: O berinjela é o novo roxo.
O Nude é o novo bege ( putz o bege eh o mesmíssimo da vida toda, kct, ninguém mereceeeeee).

E eu estou fazendo coleção, então tenho que lidar com essas coisas. E agora é o tal Nude. Meu, que sacola isso. Na boa. Nude pra lá, Nude pra cá. Enchi da tal corzinha sem vergonha.... E pensei:
Voz 1: ou não aguento mais, isso é só uma porcaria de begeeeeee!
Voz 2: Fiquei Nude.

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
Néam? Nude é o novo bege!

Lilith Blue.

Morte

A partir de hoje,
esqueço que você existe,
esqueço que você fez parte,
esqueço que você insiste,
esqueço de você...
Vá com Deus!

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Anaaaaa!

Siewerdt e suas reflexões românticas. Eu tenho deixado de escrever por esses tempos, pois estou trabalhando demais, não há tempo pra divagações como eu gostaria.
A Ana escreve super bem e sabe conduzir com palavras, é um desaforo.
Como se traduzisse tudo que eu sinto. Eu quero escrever de novo, mas preciso estar inteira e apaixonada pra fluir a contento. Minha observação tem sido limitada, apesar de tanta coisa nova.
Mas elas não me seduzem... sedução é essencial à criação.
Sou exigente demais na forma em que sou seduzida.
Bom tenho que divulgar isso, enquanto não chego ao meu orgasmo textual-estético. kkk

"Assustadora a hora que a gente olha p/ uma certa pessoa e diz: “é ele”?
Seria isso coisa de mulher, ou de quem se esquece rápido das dores, dos desafores, dos "dês-sabores"?
Para mim, sentimentos, relacionamentos, homens, mulheres... são sempre os mesmos em qualquer época ou lugar do mundo.
Bendita a hora em que se tocam pela primeira vez, e dizem coisas pulcras com sorriso iluminado, e voz de quem pede um beijo.
Deliciosos e sorrateiros, desejos escondidos por entre os dentes, por entre os dedos....
Maldita hora em que inventaram que homens também dizem “não”, e que mulheres boas, são mulheres difíceis.
E a coisa toda do ardor, da paixão, da loucura, onde fica? E as garras escondidas à força, quando irão se libertar?
Pessoas perdem tempo, perdem o sabor das coisas e milhares de oportunidades.
É tudo uma inútil cultura, medíocre, embirrante, que assombra o coração de quem quer ir além." - Ana Siewerdt.

Eu sempre quero ir além. Fronteira é pra ser derrubada, muro é pra ser escalado,e idéias pra serem substituídas.
ESSE é o movimento.
Orgânico.

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

A fuego lento é mais raro e é mais caro. Eu pago o preço!



" Não se afobe, não que nada é pra já. O amor não tem pressa, ele pode esperar em silêncio..."

Do facebook da Ana Siewerdt (q eu adoro)

Eu espero em silêncio, perseverante porém leve.
Estou me recuperando de baques fortes da minha vida.
Ainda estou meio bêbada de tristezas...
Mas amor liberta. Jamais me aprisionará.
Amor a fuego lento é bem melhor!
É que nem whisky com muitos anos, ou qualquer coisa boa maturada.
Tem mais qualidade, é mais raro e mais caro. Eu pago o preço!
Não gosto de coisas fáceis. Não gosto de gente volúvel.
"Sou uma pessoa de gostos refinados, no entanto, os pequenos acontecimentos sempre me causam forte emoção e euforia".

Beijo Aninha, que vc está sempre me motivando com seus escritos....
chuac!

Lilith Blue

Jezebel

Amar o perdido deixa confundido este coração.
Nada pode ao ouvido contra o sem sentido apelo do não.
As coisas tangíveis tornam-se insensíveis à palma da mão.
Mas as coisas findas muito mais que lindas essas ficarão.

André Barros

domingo, 11 de outubro de 2009

Nietzsche

"O amor revela as qualidades sublimes e ocultas do que ama, - o que nele há de raro, de excepcional: nesse aspecto facilmente engana quanto ao que nele há de habitual."

Melhor pra definir impossívelllll!
Só Nietzsche mesmo.

domingo, 4 de outubro de 2009

Desperta el león en tu interior!


A menos que abandones tu personalidad, no serás capaz de encontrar tu individualidad. La individualidad la proporciona la existencia; la personalidad es impuesta por la sociedad. La personalidad es una conveniencia social.

La sociedad no puede tolerar la individualidad, porque la individualidad no es gregaria como una oveja. La individualidad tiene la cualidad del león; el león se mueve solo. La oveja está siempre con la multitud; esperando que al permanecer entre la multitud se sentirá a gusto: al estar en la multitud uno se siente protegido, seguro. Si alguien ataca, existe la posibilidad de que dentro de una multitud puedas salvarte. Pero estando solo... únicamente los leones se mueven en soledad.

Cada uno de nosotros nace como un león, pero la sociedad continúa condicionándote, programando tu mente como una oveja.

Esto te da una personalidad, una personalidad agradable, muy simpática, conveniente, muy obediente. La sociedad quiere esclavos, no quiere gente que esté totalmente comprometida con la libertad. La sociedad quiere esclavos, porque todos los intereses creados requieren obediencia.

Esto nos recuerda una antigua anécdota Zen sobre un león que fue criado por una oveja y creyó que era una oveja hasta que lo capturó un viejo león y lo llevó a un pozo donde le enseñó su propia imagen reflejada. Muchos de nosotros somos como este león: la imagen que tenemos de nosotros mismos no viene de nuestra experiencia directa, sino de las opiniones de otros. Una "personalidad" impuesta desde afuera reemplaza la individualidad que pudo haber crecido interiormente. Nos convertimos simplemente en otra oveja en el rebaño, incapaces de movernos libremente e inconscientes de nuestra propia y verdadera identidad.

Es el momento de echar una mirada a tu propio reflejo en el pozo y dar un paso para salir de los condicionamientos que te han sido impuestos por otros como creencias respecto a ti mismo. Baila, corre, muévete, haz gibberish: haz lo que sea necesario para despertar el león en tu interior.

domingo, 27 de setembro de 2009

V

Ideas are bullet proof!

sábado, 26 de setembro de 2009

So(ul).... yours.

Mesmo com toda a distância,
consigo transcender o físico,
deixar de ser matéria...
Sua matéria.

Volátil tal éter.
Fada verde no absinto.
Química do diamante.
Amante do tempo.
Liga de aço.
Só contigo...

Fizeste de mim
todos os elementos.

Água de beber,
fogo de queimar,
terra para plantar,
ar que mantém a vida.

Sou assim só para continuar em você,
Alimento de ti em mim.
Sua alma.

Lilith Blue

domingo, 6 de setembro de 2009

Lobo bobo com Simonal e disquinhos da TABA


huahauhauahua, mais uma pra hoje, no resgate do meu túnel do tempo!!!!
ehhh, achei os discos da TABA, que foram o máximo. Uma versão brasileira de todas as histórias infantis clássicas e mais algumas que eram nossas mesmo. Ao contrário da coleção "Disquinho" (coloridos e transparentes)que também eram ótimos, mas versões bem clássicas dos contos famosos.
A coleção TABA era vendida nas bancas e tinha sempre no final um incentivo para a interpretação teatral das historinhas (eu virava a casa de cabeça pra baixoooo, pra virar atriz junto com as amiguinhas, rsrsrs), inclusive vinha com tintas, ou super idéias pra gente, além de sempre contar com músicas interpretadas por grandes da MPB, que sempre eram músicas com a bossa brasileira.
A foto aí encima eh da Chapeuzinho Vermelho, mas a tirada é tão legal, que olhem só a música do disquinho, rsrsrs:

Lobo Bobo (Carlos Lyra, Ronaldo Bôscoli) - tinha q ser neh?

Era uma vez um lobo mau,
que resolveu "jantar" alguém...
estava sem ninguém,
mas arriscou, e logo se estrepou.
O chapeuzinho de maiô
ouviu buzina e não parou
Mas lobo mau insiste, faz cara de triste...
Mas chapeuzinho ouviu,
os conselhos da vovó..
dizer que não pra lobo que com lobo não sai só!

Lobo, canta, pede, promete tudo até amor
e diz que fraco de lobo é ver um chapeuzinho de maiô...
Mas chapeuzinho percebeu, que o lobo mau se derreteu...
pra ver vocês que lobo, também faz papel de bobo...
Só posso lhes dizer, chapeuzinho agora traz,
Um lobo na coleira que não janta nunca mais!

kkkkkkkkkkkkkkk.
No disco quem canta é João Gilberto, mas com o Simonal é ótimo também, descobri outro dia nos arquivos do Daniel, e tive crise de riso sozinha.
ADORO!

Lilith investigativa da própria infância. Parte 2.
(gente, sem no-ção, esse Simonal... esse vídeo antiquíssimo da Record da ótimo! Com a música pra quem quiser matar a curiosity.)

Mio Mao e "Linha"



Mais uma homenagem as coisinhas bem feitas e legais!
O Bruno nem teve como ver essas coisas, mas com essa tecnologia toda de hoje, se eu ainda tiver filhos, pode crer que verão tudinhoooo!
(fora os disquinhos da TABA que minha mãe guardou cuidadosamente para as gerações seguintes que eu a-m-o.)

Docinhos vintage



Estava conversando agora há pouco com minha sócia, sobre docinhos que me levam pelo túnel do tempo.
Ela falou algo como "machadinha", rs, que vendiam na porta do colégio dela quando era criança, e daí pensei: isso deve ser a tal "puxa"...
Conheci esse docinho através de minha tia Jeceny, que voltando do nordeste os trazia na mala diretamente do Piauí. Enrolados em papel celofane, compridinhos, era só desembrulhar e puxar com a boca. Uma coisa meio besta, já que a tal puxa é somente melado de cana batido, ficando perolada, uma cor linda!
Isso me lembrou uma série de coisas: da minha mãe falando das "figuras doces" que eram bichinhos, bonecas, coloridíssimos e vítreos, com aparência delicadíssima, lembrando murano de Veneza. Açúcar moldado com corantes, vazados. Só vi uma vez quando era pequena em um ônibus indo para o trabalho da minha mãe.
Nunca mais esqueci.
Eu também amava as rosquinhas húngaras que minha mãe fazia nos sábados a tarde, quando eu ficava assistindo ao Chacrinha com sol de final de tarde atravessando a janela da sala, e aquele cheirinho de padaria... cheiro de calda de leite docinho com coco, igual aos de enroladinhos de queijo. Era assim que eu esperava a aparição do minha paixão na época, o Luís Gonzaga cantando "xote das meninas". (acho que toda criança gosta dessa música...meu filhote amava também)
Ai e a última "memoire" de hoje: geladinhos da minha avó Eulina! Sempre que eu visitava meu pai antes do meu avô morrer, brincava com a molecada na rua de queimada, e minha avó fazia geladinhos ma-ra-vi-lho-sos. Aprendi com ela, e quando dá saudade faço um monte... Ela também fez uma vez a tal "palha italiana" que eu nunca soube o que era até me mudar pra SP esse ano e comer uma.
Meu deus! Fiquei viciada na tal. Lógico, fiquei por anos tentando saber o que era, kkkkk. Minha memória gustativa é uma coisa... Se como algo que amo, não esqueço nunca mais.
Por isso gosto tanto de cozinha. Não gosto de perder os sabores no tempo e no espaço, gosto de guardá-los comigo. Ser dona das lembranças que me trazem...
É como na história do Hans Andersen, "A menina dos fósforos", que morro de chorar todas as vezes.(mommy me mostrou uma versão linda que posto junto deste texto)
Eu acendo os fósforos uma a um para viajar nas lembranças perdidas no inconsciente, trazendo-as à tona sempre que posso.

Mas igual ao filme "Como água para chocolate", não se deve acender toda a caixa de fósforos de uma vez. Afinal, eles acabam.
Deviam criar uma espécie de doceria "vintage" né?
Com uma espécie de "cultura" dos doces de infância, vendendo tudo o que foi perdido no tempo...
Decorada com bonecas de celulóide incendiárias.

Lilith imaginativa.

edges.

Impressionante como as limitações nos elevam a outra categoria de seres criativos.
"A necessidade faz o sapo pular"
Estou em um lugar completamente diferente. E de repente, cá estou eu em pleno domingo, "Dia do sexo" fazendo algo que não fazia há tempos...
Escutando música clássica, pesquisando imagens de Gustav Klimt e Hundertwasser para as bijouterias finas que estou fazendo. Momento totalmente introvertido, re-conhecendo todas as voltinhas do caminho de minha massa cerebral.
No eletronic music.
Massagem mental.
Delicinha de domingo.

terça-feira, 1 de setembro de 2009

P's profile segunda parte

As mulheres (segundo Arnaldo Jabor)

"O cara faz um esforço desgraçado para ficar rico pra que? O sujeito quer
ficar famoso pra que? O indivíduo malha, faz exercícios pra que?
A verdade é que é a mulher o objetivo do homem.
Tudo que eu quis dizer é que o homem vive em função de você.
Vivem e pensam em você o dia inteiro, a vida inteira...
Se você, mulher, não existisse, o mundo não teria ido pra frente.
Homem algum iria fazer alguma coisa na vida para impressionar outro homem, para
conquistar um sujeito igual a ele, de bigode e tudo.
Um mundo só de homens seria o grande erro da criação.
Já dizia a velha frase que "atrás de todo homem bem-sucedido existe uma grande mulher".
O dito está envelhecido.
Hoje eu diria que "na frente de todo homem bem-sucedido existe uma grande mulher".
É você, mulher, quem impulsiona o mundo.
É você quem tem o poder, e não o homem. É você quem decide a compra do apartamento, a cor do carro, o filme a ser visto, o local das férias.
Bendita a hora em que você saiu da cozinha e, bem-sucedida ficou na frente de todos os homens.
E, se você que está lendo isto aqui for um homem, tente imaginar a sua vida sem nenhuma mulher. Aí na sua casa, onde você trabalha, na rua. Só homens.
Já pensou? Um casamento sem noiva? Um mundo sem sogras?
Enfim, um mundo sem metas.

P's profile Primeira parte.

Eu quase não entro mais em orkut, pois passei episódios muito desagradáveis neste começo de ano. Mas enfim, nunca me escondi pra visitar o perfil alheio.
Tenho o bina do orkut. Entro hoje e me deparo com uma figura q sei lá quem eh, mas enfim, sempre olho quem eh quando não conheço, lógico! Achei bonitinho. E resolvi postar.
(meio meloso, meio galinha demais, mas... kkkkk)
Perfil de P LC:
About me:
ALGUNS MOTIVOS PELOS QUAIS OS HOMENS GOSTAM TANTO DE MULHERES:

1- O cheirinho delas é sempre gostoso, mesmo que seja só xampu.
2- O jeitinho que elas tem de sempre encontrar o lugarzinho certo em nosso
ombro.
3- A facilidade com a qual cabem em nossos braços.
4- O jeito que tem de nos beijar e, de repente, fazer o mundo ficar perfeito

5- Como são encantadoras quando comem.
6- Elas levam horas para se vestir, mas no final vale a pena.
7- Porque estão sempre quentinhas, mesmo que esteja fazendo trinta graus
abaixo de zero lá fora.
8- Como sempre ficam bonitas, mesmo de jeans com camiseta e rabo-de-cavalo.
9- Aquele jeitinho sutil de pedir um elogio.
10- Como ficam lindas quando discutem.
11- O modo que tem de sempre encontrar a nossa mão.
12- O brilho nos olhos quando sorriem.
13- Ouvir a mensagem delas na secretária eletrônica logo depois de uma briga
horrível.
14- O jeito que tem de dizer "Não vamos brigar mais, não.."
15- A ternura com que nos beijam quando lhes fazemos uma delicadeza.
16- O modo de nos beijarem quando dizemos "eu te amo".
17- Pensando bem, só o modo de nos beijarem já basta.
18- O modo que têm de se atirar em nossos braços quando choram.
19- O jeito de pedir desculpas por terem chorado por alguma bobagem.
20- O fato de nos darem um tapa achando que vai doer.
21- O modo com que pedem perdão quando o tapa dói mesmo (embora jamais admitamos que doeu).
22- O jeitinho de dizerem "estou com saudades".
23- As saudades que sentimos delas.
24- A maneira que suas lágrimas tem de nos fazer querer mudar o mundo para
que mais nada lhes cause dor.

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Especial nas spacialidades.

Especial na dignidade, especial no poder, seja especial nos méritos!
Espacialmente diferente.
Ameba.
Adequação.
Equação sentimento e forma.
Reinvente-se!
Osmotize-se.
Forget your past.
Create your own path.

Be yourself.
Determine seu sentido de futuro.
Faça sua estrada de tijolos amarelos.
Que sejam vermelhos... cintilantes...
Encontre a lagarta que fuma ópio.
Learn.
be again.
and again,
and again...
Renasça quantas vezes for preciso.
Mas nunca disfarce para seu espelho.
O que reflete você mesmo sempre deve ser verdade.
Sempre.
Tenha coragem de ser só seu reflexo e não ter medo.
Quem faz o que deseja, sabe muito bem o que seu espelho dirá.
Engula tudo e tenha prazer.
Assim é nossa vontade de conhecer desmedidamente.
Amalgame-se.
Seja como a água, que se adapta a cada fenda, e continua correndo...
Sem parar.
Jorre!
Ocupando todos os espaços...
"Ser parando"...
Ser e pare, Bárbara.

Lilith líquida.

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

A duração.

É preciso compreender os limites da perseverança, para não se cair na teimosia ou obsessão...
Podemos aprender a caminhar de acordo com o tempo e a nos adaptar às condições variáveis do percurso.
O que não pode ser abandonado é o desejo de conhecer a verdade que iluminará de modo cada vez mais claro o nosso mundo interno e nossas ações na vida exterior!

domingo, 23 de agosto de 2009

Peter Pan

Never say goodbye, because saying goodbye means going away and going away means forgetting. -Peter Pan

E eu disse.
Lilith Blue

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Asas de Anaconda


Estou em agonia completa...
envolta em fios de seda.
Meu casulo me desespera,
tenho claustrofobia!
Minhas asas estão formadas,
mas não consigo voar...
Isso me irrita definitivamente.
Estou com tanta vontade de ver minhas cores novas...
Tenho certeza q estou mais bonita.
Ahn.... a natureza tinha que ser assim.
En-ro-la-da, né?
No tempo, nas formas, e nos seus ciclos infinitos....
Ciclos dos quais estou muito cansada.
Eu vou rasgar essa seda com uma força!
Guardada. Reciclada. Tântrica.

Essas asas que estão se formando em mim,
Não são nada etéreas...
São pesadas e musculosas como o corpo de uma Anaconda.
Fortes, ágeis.
Tenho medo disso. Tenho que mantê-las sob controle total.
Se elas se revoltarem...
Posso morrer enforcada, sufocada,
Em uma morte claustrofóbica...
Engolida por inteiro. Nada sobrará de minha persona.
Só a serpente que habita minha alma...

Lilith.

quinta-feira, 13 de agosto de 2009

Beautiful lights. "Insight" me.




In your room. I miss so much.



Living on your breath...
Feeling with your skin.

Living on your breath, feeling with your skin...


In your room..
Where time stands still...
Or moves at your will...
Will you let the morning come soon...
Or will you leave me lying here...
In your favourite darkness...
Your favourite half-light...
Your favourite consciousness............
Your favourite slave!

In your room
Where souls disappear
Only you exist here
Will you lead me to your armchair
Or leave me lying here
Your favourite innocence
Your favourite prize
Your favourite smile
Your favourite slave

I'm hanging on your words
Living on your breath
Feeling with your skin
Will I always be here

In your room
Your burning eyes
Cause flames to arise
Will you let the fire die down soon
Or will I always be here
Your favourite passion
Your favourite game
Your favourite mirror
Your favourite slave

I'm hanging on your words
Living on your breath
Feeling with your skin
Will I always be here

Will I always be here....

I'm your favourite slave?
That is THE question...
rs.

AMO Depeche Mode. Tem coisas que sinto que só Depeche Mode pra traduzir...

Un día me voy...

Un día voy a ser otro distinto,
Voy a hacer cosas que no hice jamás.
No va a importarme lo que otros me digan
Ni va a importarme si resultará.

Voy a viajar, voy a bailar.
bailar, bailar, ¡quiero bailar!

Voy a vivir en el medio del campo y
A las mañanas me he de desnudar
para ordenar, me va a costar,
Me gustará,
¿cuándo será?

Un día voy a hacer todo distinto
Voy a arreglar las ventanas de atrás.
Voy a cantar las canciones sin letra
y cada uno podrá imaginar:
Si hablo de amor o desilusión
si hablo de amor o desilusión,
Banalidades o sobre Platón,
Si hablo de vos o de color,
Si hablo de música, nuestra pasión.

Un día voy a ser otro distinto,
Voy a hacer cosas que no hice jamás.
Voy a cantar las canciones sin letra
Y cada uno podrá imaginar.
Vagar
Vagar...

[Juana molina, un día (one day), 2008]

terça-feira, 4 de agosto de 2009

A toda ida segue uma volta.

A toda planície segue um declive; a toda ida segue uma volta.

Não me desespero por esta verdade.

Mantenho minha firmeza diante de qualquer perigo... Isso não não me traz erros.

Desfruto da felicidade que possuo agora.
Não perco a fé.

Quando a essência interior do homem se mantém forte, ele pode se mostrar superior ao destino, e a sorte o acompanhará.

(I CHING)

quinta-feira, 30 de julho de 2009

Montanha russa


Olhem a problemática (tinha que vir da Espanha mesmo):

Os classificados de Madrid, estão lotados de pessoas trocando serviços. Neste momento, estão trocando um muy especial: serviços do lar!
Até aí nenhuma novidade, o problema é que os serviços de doméstica também incluem sexo!
Maior problema ainda: alguns simplesmente trocam casa e comida por serviços do lar e sexo.
Gente esse mundo tá pirando geral mesmo. Pensem comigo: trocar casa e comida por sexo e serviços do lar não é casamento??? kkkkkkkk. E se for bem paga, é prostituta?
A "função" feminina antes tão pré estabelecida, DESAPARECEU. Daqui a pouco não vai existir mais pré conceito de nada. Mulher do lar, amante, prostituta, frustradona, sapatona, bicha, cafetão, enfim. Não tem mais regras. Pode-se ser o que quiser.
Será que tem homens disponíveis pra fazer a função também? Deve ter, lógico. Imaginem só: a mulher se dá bem na vida, constrói uma casa da Barbie e vai nos classificados, pra resolver o resto. Sem preconceito.
Com esse embaralhamento de funções domésticas, sexuais, sociais e tudo o mais... Só posso concordar que o mundo vai virar uma androgenia totalizada. Mix, vitamina tutti frutti.
Quer saber? Sou caretona não, mas se a tendência continuar e as próximas gerações não descerem desse ônibus interplanetário maluco que a Terra tá virando, eu tenho medo meeesmo.
Tá, eu assumo que gosto de coisas equilibradas, dão segurança na vida, nos relacionamentos, em tudo. As regras e um pouquinho de caretice têm que existir.
Mas como sempre digo, o que é gostoso na vida é o contraste: de emoções, situações, etc. Se for linear demais seja pra loucura, seja pra caretice... Tem graça nenhuma!
Agora venhamos e convenhamos que a humanidade tá encontrando um meio SIM, de tentar equilibrar essas coisas, mas olhem o jeito que está... Olhando de uma forma dramática (e eu costumo ser dramática com tudo... rs), temos dois pólos, o crescimento de uma caretice enraizada de um lado (o crescimento vertiginoso da igreja evangélica é uma dessas vertentes de fuga das pessoas para uma vida dogmática) e por outro contrastando bruscamente com isso, o povo pirando geral e perdendo seus valores, justificando uma vida leviana, desregrada, auto (altamente) destrutiva. Muito oito ou oitenta...
Viva a montanha russa! Ainda acho o brinquedo mais divertido do parque de diversões! Mas o melhor é que tem hora pra descer...

Lilith Blue.

sábado, 25 de julho de 2009

Eu não acho mais. Encontro!

Eu vivi momentos tão estranhos nesses últimos anos.
Pensei que fosse amor e não era. Pensei que fosse raiva e também não era. Não fui nada nesses últimos anos. Só achei que fosse... Achei que sentia.
Como posso ter me enganado tanto?
Sempre fui tão segura de que caminho seguir.
Tudo voltou de uma forma que me assustou quando todos sentimentos brotaram juntos.
Nunca sofri tanto como em fevereiro deste ano. Sozinha, absurdamente sozinha. Mas precisava neh?
Achei que fosse morrer. De dor.
Quis morrer de verdade e esquecer de viver pois tem hora que cansa mesmo. Lutar o tempo todo cansa. Algum aspecto deveria estar no lugar. Mas não havia NADA no "lugar"...
"Estou desorganizando para me organizar". E para quê organizar se não puder desorganizar tudo de novo?
A baguncinha É produtiva.
Menos mal. Renato Russo dizia que "a disciplina é liberdade". Certeza que é.
Nesse momento sou somente disciplina. Atitude. Estou reorganizando.
O que me deixa louca de verdade é: por que certas coisas na vida lhe são apresentadas em momentos de desorganização? É pra perder tudo de novo?
Como posso amar alguém se não consigo ainda nem a mim mesma?
Mas eu ainda consigo... Como pode ser isso?
Estou morrendo aos poucos sem ninguém ajudar e ainda consigo me doar emocionalmente?
Eu sou um LEGO desconjuntado na mão de uma criança.
Não sei o que vou virar, mas sei que não poderia ser pior.
Para qualquer lugar que olho, só tenho enxergado a mim mesma desconjuntada. Pedaços de Bárbara. Pedaços de Lilith Blue, pedaços de Alice, pedaços de Marilyn Monroe, pedaços fêmeos no vácuo. Patches.
E sei que reconstruir isso, é pior do que quebra-cabeças de zilhão de peças.
Patches de sentidos. Patches de pele. Patchwork. Estou me formando como uma colcha de retalhos. Cheia de costuras.
Frankenstein. Ao final todos nós somos.
Por isso a juventude é tão invejada... Mas, sabe? As cicatrizes possuem sua beleza. Pois retratam como lidamos com a dor durante a vida. Temos que passar e aprender com tudo.
Estou tão marcada que por vezes queria nascer de novo...
O que me salva deste turbilhão é uma coisa tão simples...
Doação. Amor. Me entrego. A juventude está na inocência com que enfrentamos o que aparece no caminho.
À vida. Às pessoas. Dizem as pessoas cheias de cicatrizes que devo enlouquecer, me jogar, ficar com todo mundo que aparece, me retrair, pensando que isso é um conselho de preservação. Que nada. Isso preserva da dor? Preserva de sentir de verdade? Estamos nesse diabo de vida pra quê, cacete? Para "achar"? EU QUERO ENCONTRAR!!!!
Eu sou de um só homem. Eu sou de amigos. Eu sou dos meus bichos queridos. Sou da MINHA família. Sou de todas as plantas, e de todos os raios de sol do amanhecer e do entardecer.
Eu preservo minha inocência diante das coisas. Com a curiosidade de uma criança pequena.
Para isso precisa ser guerreira nesse mundo. Nossa!
E eu SOU.
Nem sabia o quanto...

Lilith Ultrabluetilics. rs.

domingo, 12 de julho de 2009

Liberdade fantasiada de Peter Pan.


A retirada por medo de pessoas, ou uma atitude divertida e lúdica como a de Peter Pan como uma forma de evitar a responsabilidade de fazer algo com a sua vida...
Em algum momento só nos leva a ter a certeza de que o valor da vida física é provisório e justificado apenas se ela permite que você viva seu amor...
Amor esse que se inicia por si mesmo, se descobrir sem amarras.
Depois é expandido aos outros que ficam ao redor de si.
Ao final para o mundo.
Etapas de uma liberdade completa e verdadeira.

"Wendy contou histórias a Peter, e ele a ensinou a voar.
Ele teve medo de crescer e sentir, e ficou com as histórias, enclausurado em sua idéia de liberdade. Ela voou para casa,e livre, voa quando quer e para onde quer, ganhando seu destino..."

Lilith Blue.

sexta-feira, 3 de julho de 2009

Funghi Sampa.


Durante muito tempo, os fungos foram considerados como vegetais e, somente a partir de 1969, passaram a ser classificados em um reino à parte.
Os fungos apresentam um conjunto de características próprias que permitem sua diferenciação das plantas.
São heterotróficos e nutrem-se de matéria orgânica morta - fungos saprofíticos, ou viva—fungos parasitários.
Suas células possuem vida independente e não se reúnem para formar tecidos verdadeiros.
Os fungos são ubíquos, encontrando-se no solo, na água, nos vegetais, em animais, no homem e em detritos, em geral. O vento age como importante veiculo de dispersão de seus propágulos e fragmentos de hifa...

Quando saio de Sampa, e volto... Aqui nessa cidade tem momentos em que sinto cheiro profundo de mofo. Em todo lugar.
O cheiro simplesmente não vêm de roupas e coisas. Vêm de algumas pessoas. Pessoas que são os próprios fungos. Quase vegetais. Nutrem-se de energia morta ou são parasitárias... Não se reúnem pra formar tecidos verdadeiros. Estão em todo lugar...

Este tipo de fungo eu ainda não conhecia tão de perto. Frustração e medo refletidos como arrogância e ataque. Falta de coragem pra sentir e amar, fuga desvairada da realidade. Sempre na superficialidade... E que fazem com que pessoas saudáveis adoeçam através deles.
Fungos.
Não gosto de cheiro de mofo.
Para acabar com ele, nada melhor que o sol. Luz. Calor.
Todo o mundo deveria curtir um raio de sol da manhã, espreguiçando como gatos, com um grande balão cheio de ZZZZZZzzzzzzz acima de suas cabeças.
let the sunshine in... in our hearts.

terça-feira, 16 de junho de 2009

Silenzio...



No hay banda.

No hay orquestra.

Shhhh.

Silenzio!

segunda-feira, 15 de junho de 2009

Inverno.


O Inverno que precede à Primavera...
A sabedoria dos finais que trazem em si...
Inícios.

sábado, 13 de junho de 2009

Rebirth.

O verdadeiro renascimento é aquele onde lançamos um olhar inteligente sobre nós mesmos.

sexta-feira, 12 de junho de 2009



Você é assim.. um sonho pra mim... quero te encher de beijos... eu penso em vc.. desde o amanhecer... até qdo eu me deito...
af. Enfim. Sou romântica tah????
Eu gosto de você. E gosto de ficar com você. Meu riso é tão feliz contigo....
af again.
enfim... não tem como não adorar o perigo de uma pessoa que te deixa assim...
Se joga louca!
rs.

Gia Carangi.



"The best and most beautiful things in the world cannot be seen or even touched. They must be felt with the heart."
Helen Keller

Macumba digital!


Conversando com minha mãe, falando de igreja católica, e evangélicos e tudo o mais. Sobre o que é mais confiável. Minha mãe tem medo da Universal, acha que ela eh capaz de grandes complôs pra louvarem mais a Deus... Disse a ela que a católica (e sou católica) também já fez coisas horrendas em nome de reforçar a fé das pessoas em Deus e assim também reforçarem seu poder na terra, lógico.
Meu falecido ex-Bill, uma vez me contou que viu nos EUA uma igreja com uma placa: "Passa-se o ponto". Honesto isso né? rs.
Onde está a fé romântica?
Fiquei questionando e me lembrei de quando fui para a Europa a primeira vez em 1997. Fiquei viajando por 3 meses pela Europa toda, o que visitei de igrejas e basílicas e tudo o mais... pude observar detalhes que me chocaram.
O principal deles foi o fato de acender velas... vela acesa pra mim é ato de fé. Tem que ter cheiro de parafina no ar... um pouquinho de calor pra aquecer a alma... e o fogo oscilando com filetes de ar se deslocando... como se anjos ouvissem nossas preces para que a viagem da concentração faça sentido. É um ritual e não deve ser banalizado.
Enfim, cheguei em uma cidade do interior da Inglaterra: Canterbury. Lá tem uma catedral escandalosamente linda, medieval, e com histórias horríveis guardadas em seus corredores. Entrei ao som de canto gregoriano do coral humano, órgão à moda antiga.
Me deu uma vontade imensa de me elevar e rezar um pouco.
No meio dessa inspiração toda, fui até as capelinhas de santos que ficavam ao fundo, cada uma tinha uma mesinha de velas. Sabe como? ELéTRICAS! E com um dispositivo que só aceitava moedas inglesas... me recusei a usar aquilo. Na maioria dos lugares era assim!
Para minha fé voltar foi só na Itália mesmo. Lá as velas ainda são de parafina, com fogo, acesas com fósforos, e com uma latinha de moedas ao lado que num eh eletrônica.
Benzadeus, um lugar onde pude exercer minha fé de forma feliz de satisfatória.
Agora, já podemos acender velas pela internet... rsrsrs, jogar tarôs... namorar, enfim. Ai gente, como diriam os portugueses: "Ai, não possoooo!"
Imaginem quando começarem a inventar macumba digital... pensem em um programinha em flash com vários produtinhos usados nas macumbas... de um lado uma cestinha e do outro uma galinha preta, a farofinha, uma cumbuquinha, velas em todas as cores... daí vc põe o necessário pra receita de macumbinha q quer, tudo dentro da cestinha! E paga com cartão de crédito! Claro, que a encruzilhada, será encontrada na Matrix.
Ao final... uma galinha preta feliz aparece na tela e diz: o seu pedido foi enviadoooo!
kkkkkkkkkkkkkkkkkkk
Estamos na era da macumba digital. Do olho gordo digital (o orkut que o diga, eita coisa do demo.). Da maldade digital.
Do amor digital.
Mas intrinsecamente os sentidos, são todos primitivos... no nosso computador orgânico mesmo. Só irá mudar a forma de manifestação
I hope so.

quinta-feira, 11 de junho de 2009

O bom leão. O bom Selvagem.


Ernest Hemingway, em seu conto "O bom Leão", que li ainda na infância... Nos faz pensar até que ponto nossa selvageria natural está tão enlatada quanto uma sopa da Campbell's. Comemos sanduíches de mercadores hindus? Not yet, mas devoramos sanduíches de vacas sagradas da Índia... Se é que sabemos distinguir o que seria a diferença entre um e outro, se todos vem de congeladores, formatados em rodelas geladas. rs.

O conto fala sobre o Leão de Veneza, que frequentava um bar famoso por lá, e é amigo do garçon. Ele comentava com o amigo que achava um horror qualquer tipo de selvageria, que aquilo era uma coisa absurda, imagine... Era um leão muito fino, aliás... e vegetariano.
Mas ele tem parentes leões que vivem na selva africana, e decide ir atrás deles para conhecê-los, afinal são uma "parte" dele.
Chegando à África, observa terrificado, que seus parentes não possuem nenhum trato. São grosseiros, sujos, enfim, selvagens. Ele havia nascido em Veneza, e crescido por lá, não conseguia entender como seus parentes poderiam ser assim. Na selva, a comida predileta deles, (diga-se de passagem, passavam fome se não lutassem por suas comidas, lógico.) eram os mercadores hindus que atravessavam a selva. O bom leão observa então pela primeira vez seus parentes em luta por sua alimentação. Eles devoram os mercadores e com sangue e carne nos dentes perguntam: "Como? você não quer?"... Ele decide só comer plantinhas até decidir voltar para Veneza.
Chegando ao seu bar de costume, pede seu drink predileto, e conta toda sua experiência na selva, de forma bem preconceituosa... do tipo: eu jamais seria assim, tão pouco civilizado!
Ao final da conversa, ele pergunta ao garçon: Você, por acaso, não teria aqui, sanduíche de mercador hindu?

Eu admito: sou uma bonne sauvage. Uma leoa fina. Mas com os instintos intactos e respeitados. rs.
Adoroooo Steak tartare e carpaccios...

quarta-feira, 10 de junho de 2009

Retirada.

Quando reina a desconfiança, alimentada por pessoas vulgares, toda atividade frutífera torna-se impraticável, pois as bases estão falseadas.
Consciente do que se passa, o homem correto não se deixa seduzir por convites para participar de empreendimentos públicos duvidosos; seria perigoso para ele, porque não poderia concordar com a mesquinharia dos outros.
O gesto adequado é retirar-se dos negócios obscuros e reencontrar-se com seus valores internos...

A morte existe sempre de alguma forma...

para o sonho continuar...

a árvore da vida crescer e florescer...

quinta-feira, 4 de junho de 2009

Sweet soul sister....



Sweeet soul sister, ai esse Ian....

terça-feira, 26 de maio de 2009

Cristal vision.



Não houve sapatinho de cristal que tenha ficado pela escada na descida contra o tempo desta Cinderela...
Mas há outras coisas de cristal puro que estão em cacos em um chão sujo de pó.
Cada caco recolhido de volta sangra minhas mãos...
Cristal cortante.
Mas não deixarei meus cristais perdidos entre a sujeira... São valiosos pra mim.
São puros e brilhantes.
Multiplicados, vistos de cima, são como estrelas.
Chão de estrelas cortantes nos pés.
A beleza também dói...
O corpo todo.

terça-feira, 19 de maio de 2009

Jean Lescure.

"O artista não cria como vive, mas vive como cria"
Eis que surge o questionamento: o poder do artista em seu próprio destino.

Subjugado a ele? Não é artista. É gente sem vontade de agir. Joguetes do destino. Peças de xadrez manipuladas.
Por que não ser a formiga que invade a cena do tabuleiro, andando entre as peças manipuladas?

Pinte seu cenário, esculpa teu corpo, modele sua alma e jogue para o alto! Para que o destino possa interagir com sua obra: você.

Seja completo:
Reinvente-se.

sábado, 16 de maio de 2009

Blame it on the samba!!!!



Gente adoooro isso! Coisas da minha infância, pena que não passem mais essas coisas pra galera novinha ver... A Globo resolveu só passar Beethoven 1, 2, 3 e 4 e Free Willy nas Sessões da tarde antes ocupada por filmes do universo chapliniano, ou Jerry Lewis, "As sete caras do Dr. Lao", e ainda "Se meu apartamento falasse".
Vídeo com Ethel Smith, organista americana famosa pela interpretação de Tico Tico. Very talented... Muito bom.

(Cá entre nós, o Walt Disney devia tomar litros de chá alucinógeno por dia... rsrsrs)

SÃO PAULO (o que fomos, o que somos)



Achei de novo este filme, de cerca de 15 minutos (veja com calma, portanto), foi feito pelo governo dos EUA durante a Segunda Guerra. A intenção era "apresentar" São Paulo aos americanos e a quem eventualmente quisesse informações by Amerika sobre países alinhados/aliados. As imagens, de altíssima qualidade, e o texto, laudatório mas sem erros comuns aos americanos — como mostrar o obelisco de Buenos Aires e identificá-lo como o Cristo Redentor, por exemplo —, revelam uma cidade de 1,3 milhão de habitantes, 65 anos atrás, que reluzia de progresso e esperança.Claro que SP já tinha problemas e pobreza. Mas em outra dimensão. Não dá para comparar com hoje. Mal dá para acreditar que se trata da mesma cidade, do mesmo país, do mesmo planeta. Vejam as casas, os jardins, as escolas, as avenidas, os parques… A gente, que mora aqui, vê isso e não tem outra reação que não seja o espanto, para depois dizer, educadamente: puta que o pariu, como fomos capazes de fazer tanta merda?

Liderança.

O povo só sabe se intrometer mesmo, sem pensar em nada ou as consequências que isto pode trazer para a vida de alguém. Vaiar e atrapalhar é fácil....
Adorei o mail que só li hoje depois de tê-lo recebido há tempos (estou limpando minha caixa de mails)
Recebi do Col no dia 12 de dezembro do ano passado:

"A menina, 13 anos, Natalie Gilbert, ganhou um prêmio e foi cantar o Star Spangled Banner, hino dos EUA, no jogo da NBA. Vinte mil pessoas no estádio, ela afinadinha.
Aí o braço tremeu, ela engasgou, esqueceu a letra... DEU BRANCO!!! Treze anos.

Sozinha, ali no meio... PÚBLICO ESTUPEFATO ameaça uma VAIA.
De repente, Mo Cheeks, técnico dos Portland Trail Blazers, aparece ao seu lado e começa a cantar, incentivando-a, e trazendo o público junto.

Bonita CENA e - o que é mais incrível - ... só o técnico tomou a iniciativa de ir até lá para ajudar, enquanto os demais à volta dela só observavam estupefatos...

Mostra como uma atitude de LIDERANÇA e SOLIDARIEDADE, NA HORA CERTA, pode fazer uma grande diferença, para ajudarmos um ser humano e mudar a história do JOGO da vida. Será que isso já não aconteceu em nossas vidas?
E a nossa atitude foi a do técnico Mo Cheeks ou da de todos que estavam ao redor, comum e de descaso?

TEM GENTE QUE ESTÁ NO MUNDO PARA AJUDAR... OUTROS PARA VAIAR."

sábado, 9 de maio de 2009

Patches de sentidos... sob a seda.


Jamais verás as palavras mais importantes e significativas ditas por minha boca.
Elas cairão em papéis, ou digitadas, soltas pelo mundo... sopradas delicadamente no vento.
Terás que alcançá-las, ou elas o alcançarão de alguma forma, pois não se perderão com o tempo.
Solto as palavras assim como as sementes de "dentes de leão". São leves. E voam.
Plumáceas... plúmbeas.
Minhas vogais seduzem consoantes a esconderem o jogo.
Como um lençol de seda branca sobre meu corpo cheio de curvas. Fumaça saída da boca sensual de Marlene Dietrich.
Patches de pele aparecendo sob o lençol.
Mistérios de sentimentos e fogo sob as letras.
Chegarão aos teus ouvidos ondulantes e carregadas de sentidos, música que conheces bem. Arrepiando-lhe a alma de lembranças minhas...
Me descubra lentamente... pois quero sentir cada gesto teu puxando a seda que me cobre... Revelando todas as frases completas tatuadas em minha pele... Mein "Pillow book".
São as minhas manchinhas de onça pintada. Sou tão marcada pela natureza quanto você.
Deixe que eu sinta a seda correndo a pele marcada de histórias tuas, como uma carícia sem fim...
Isso é o maior prazer pra mim.

"em tinheu anho moia nca"

Lilith Blue. Blue. Bleu silky.

Eu pulei pedindo a Deus para me fazer voar...







"É o que as pessoas fazem: pulam pedindo a Deus para conseguirem voar... sem esse desejo... São como pedras, caem ao chão rápido, ou nunca saem do lugar."


Fala do ator Will Smith no filme "Hitch-Conselheiro amoroso", quando ele finalmente acredita que deve ir atrás da sua amada e se declarar, colocando os pingos nos is. Eu estava assistindo até agora mesmo....
Mas o exemplo mais perfeito disso no cinema é o filme "Asas do desejo" de Wim Wenders, 1987 (diretor alemão que fez também Paris, Texas enfim, depois posto tudo sobre ele).
Um anjo tem que se jogar, se esborrachar no chão para poder amar como um humano.
No filme, os anjos param perto das pessoas e escutam os pensamentos delas. Adoram bibliotecas.
E o filme se desenrola em preto e branco representando o mundo dos anjos.
Um anjo se apaixona por uma acrobata de circo.... ela voa com asinhas alegóricas em seus shows. Ela sente a presença dele enquanto este a ouve em pensamento.
Por amor a ela ele resolve deixar de ser um anjo com vida eterna...
E pula. A transição é dolorosa, e ele se machuca muito.
(Nessa parte, todo mundo vai se lembrar de uma versão comercial deste filme feita muito tempo depois, que eu gosto também mas jamais será tão profundo quanto este: Cidade dos anjos com Nicolas Cage)
Agora a vida é cheia de ruídos novos, cores e outros detalhes. E ele sem lenço e sem documento literalmente, vai atrás da sua acrobata. E fica com ela.

O amor vence todas as barreiras. E nos dá asas assim como as nos tira.

Enfim, é isso por agora....

Lilith Blue

Un homme.

Un homme, un vrai n'est pas celui qui conquerit plusieur femmes, mais celui qui conquerit plusieur fois la m^m femme.

quinta-feira, 7 de maio de 2009

Portabilidade?!?

Não dava pra não postar isso:

"Agora você pode transar com outras pessoas e manter seu relacionamento. Isso não é traição, é portabilidade.

postado por Me paga um drink que eu falo. às 05:41 em 07/05/2009"
Do blog: "Quero te pegar sóbrio".

kkkkkkkkkkkkkkk, num é que é uma visão interessante do aspecto modernóide comportamental dos neo-relacionamentos? Depois do "delete", do "arquivamento virtual" arbóreo, agora vem a teoria da portabilidade.....
Gostei.

oinc, oinc, snif, snif...

Estou doente, de cama, medicada e dopadinha... Trabalhando até agora. 05:48 da matina do dia sete de maio. Mesmo assim ainda filosofo idiotices. Bom, a cabeça não pára, ainda bem, né? Ao menos tenho como rir de mim mesma. Rs.
"Um dos segredos da felicidade é saber cair em algumas tentações"
tentações...
* passar perto de uma planta de beijos, cheia de "beijinhos" gordinhos e apertar todooos só pra sentí-los explodindo na mão e soltando suas sementes...
* Ver um "dente de leão" parecendo um pom pom e soprar pra ver as pluminhas voando...
* Ficar olhando feito boba o pé de romã do vizinho com "aquela" romã madura ao sol da manhã, brilhando como rubis e confabulando como fazer pra roubá-la sem que o vizinho saiba...rs
* Encher meu filhotinho de beijos e cafunés e cosquinhas na frente dos amigos dele e ver a carinha de adolescente morrendo de vergonha, mas toda orgulhosa de ser filho da mamãe, hehe.
* Estar no meio da chuva com guarda chuva e fingir que ele não existe só pra tomar "aquele" banho de chuva e chegar toda "pintinho molhado" em casa e tomar um banho quentinho tomando chocolate quente.
* Acordar ronronando como uma gatinha abraçada com meu cariño (e o urso pardo, lógico) olhando pra suas costas apaixonadamente e beijar cada manchinha de oncinha que existir no corpo dele. (rs, essa tentação um dia passa, e será substituída por outra, enfim.) Aliás, já está saindo do top dez "tentações".
* Andar na Av. Paulista com cara de turista feliz no inverno...kkk
* Jogar Banco Imobiliário com minha amiga Tati de madrugada, enchendo a cara de chocolates e vendo filme de comédia romântica pra fingir que os meninos não existem nas nossas vidas. (mas ao final a gente fala só deles. Af. Coisa mais adols.)
* Alugar montes de filmes por seções: Clássicos, diretores, ação, e filme pra morrer de chorar (a gente dorme melhor quando termina com esses, snif.), passar na padaria ou na Ofner e comprar tooooodas (digo todas mesmo) as amostras de tortinhas, docinhos e salgadinhos, além de potinhos de sorvete Häagen-Dazs de crocante de macadâmia... e ficar trancada em casa o domingo inteiro com cachorros, gatos e coelhos e papagaios no "sofas" devorando tudo. (preferência para os dias frios pra usar pantufas funny, porque meus pés ficam gelados.). Ah, e se tiver um jogo do meu time abro exceção pra cerveja e a gritaria só na hora do jogo. rs.
* beijar, beijar, namorar, e outras coisas que não podem ser ditas com quem a gente tá a fim...
* Fazer comidinhas junto com o Dani nos momentos mais estranhos, e depois comer vendo televisão viajando nas coisas mais toscas... huahauhau
* Ficar doentinha só pra minha mãe cuidar de mim, porque sou uma gata bem amada em casa, e por isso sou manhosa mesmo. (nunca frágil, não confundam, sou bem bravinha como uma jaguatirica... Ah, mas é só darem uma tigela de leite... Um pedaço de carne mal passada... e fazer uns carinhos, que ronrono de satisfação fácil....kkk)

Eu pareço uma pessoa cheia de frescuras... Mas na verdade o que me deixa feliz são as coisas mais simples da vida mesmo. Não sou ligada em grandiosidades, amo as delicadezas, as suavidades que nos fazem lembrar que a vida é boaaaaa!
Putz. Acho que assisti demais a "Noviça rebelde".
A típica pessoa feliz cantando na montanha: "the hills are alive... with the sound of music...."
kkkkkkkkk

Lilith Amigdalítica.

sexta-feira, 1 de maio de 2009

Depeche mode!!!!



Depeche Mode confirmou o show em Sp no dia 24 de outubrooooo!!!!
A banda que mais amo no planeta finalmente confirma shows no Brasil depois de tanta espera, os ingressos serão vendidos a partir do dia 25 de julho, preparem os bolsos e os corações (especialmente eu mesma...).
AAAAAAAAAAAhHHHHHHHHHHHHHHH!!!!!!!!!!!

quinta-feira, 30 de abril de 2009

Butter - fly

Palavra ótima: Expectativa.
Significado: 1- situação de quem espera uma probabilidade ou uma realização em tempo anunciado ou conhecido. 2- Esperança, baseada em supostos direitos, probabilidades ou promessas. (dicionário)

Daí vem: Esperança.
1- expectativa na aquisição de um bem que se deseja, 2- aquilo que se espera, desejando. (dicionário)

A esperança gera a expectativa... são interligadas.
Pois o que eu desejo, tenho expectativa de que se realize, mas não sei quando será, como virá, não é tangível. Estou solta no espaço. Sustentada por fios invisíveis de esperança criados por mim. Sou marionete do destino.
Ao contrário da maioria das pessoas, não consigo acreditar em coisas tangíveis, marcadas, certinhas, dão uma falsa segurança de que temos controle absoluto do que virá. Isso é completamente boring. Geralmente somos tão inseguros que nos apoiamos nessa idéia de controle pra aliviar o medo de coisas ruins que possam acontecer. Mas o que é considerado "ruim" alimenta seu antagonismo do "bom", o alimenta de forma a transformá-lo em "maravilhoso". Não quero ter o controle dos fios de esperança que me sustentam, quero criar os fios para que o destino os manipule, quero a beleza do intangível, a mágica do que é "maravilhoso".
A magia reside no desconhecido, e o prazer de viver surge quando descobrimos o que não sabemos. Como presentes de Natal na infância, quando supomos o que há dentro (pois as desejamos), mas por vezes vem coisas muito melhores e por outras... coisas que não gostamos mas que aprendemos a conviver pra desejarmos outras melhores... É o que nos movimenta para dias grandiosos.
Adaptação, equilíbrio, avaliação e busca.

A minha virada começa a se realizar efetivamente agora, e estou feliz a ponto de explodir, mas calma para realizá-la com competência... Estou transbordando amor de todas as formas, sensibilidade extremada, enxergando exatamente o que está por vir como se visse um filme da minha vida. Minha sensação neste momento é a melhor de todas: a de quem se apaixona pela primeira vez, a da primeira viagem... de um beijo apaixonado flutuante, de doação pelas pessoas, Encantada como uma criança enxergando o mundo. E sou isso mesmo. Moleca de tudo.

Estou na toca do coelho de novo, cheguei no chão depois de cair por meses... Chorei até me afogar em lágrimas que nem a Alice, passei pelo buraco da fechadura, depois de ficar bem pequenininha. Agora estou no País das Maravilhas!
Finalmente eu cheguei. E não quero nunca mais sair daqui.

Lilith blue

quarta-feira, 29 de abril de 2009

A montanha.

Ultrapassar todos os obstáculos, sem perder a minha essência, e avançar sem medo.
É nos momentos mais difíceis que mostramos quem realmente somos, por isso mantenho fidelidade a mim mesma...
Tenho que ser como a água, que ultrapassa todos os obstáculos, contornando as montanhas, formando rios e lagos, chegando ao oceano...

segunda-feira, 27 de abril de 2009

Meu anjo.


Filhos...

Não consigo compreender o fato de um ser humano não desejar filhos. Tudo bem, tem toda uma história...

Pra que pôr mais um no mundo? E dinheiro pra cuidar? etc... etc...

Querer ter filhos é uma coisa meio egoísta mesmo. Afinal serão nosso reflexo: o que desejamos pra nós mesmos... a continuidade da família. E por outro lado é uma prova de doação incrível. A gente vira bicho pra defender a prole, deixa de comer pra dar pra um filho...

Um novo par de olhos pra exergar as coisas de perspectivas diferentes... Filhos nos ensinam a não enjoar das nossas vidas. Eles nos ensinam mais do que podemos ensinar a eles.

A vida se transforma assim que a barriga começa a crescer, e sentimos que a vida tem um sentido tão maior que toda essa bobagem que nos parecem tão importantes.

Eu sabia exatamente o dia em que fiquei grávida, não de saber, mas de sentir. Eu sabia. coisa mais louca. Fiquei grávida com 15 anos e meu filho nasceu quando eu tinha 16.

Não lamento isso de forma alguma... É incrível como adorei ter filho com essa idade, claro que tive um puta apoio da minha mãe, ou seria diferente... Mas pude curtir absolutamente toda minha gravidez, e toda a infância do meu filhote, pude andar de bicicleta com os amigos dele, jogar vídeo games... Eu era a mãe descolada, os amigos deles sempre gostaram de mim, e eu sempre fui amigona do meu filho.

A parte chata foi que eu tive meio que me parar no tempo e estou demorando um pouco mais pra me estabilizar profissionalmente, ou seja minha luta por um espaço ocorre agora quando a maioria já conseguiu.

Mas sabe? Valeu cada minuto. Meu filho apesar de todos os problemas é lindo, está bem criado, é adolescente já, com namoradinhas... Todo o processo de ver o filho crescer e bem, é maravilhoso!

O Bruno fez aniversário no dia 24 de abril. Eu estou longe.

Só que amor é assim mesmo... De longe, de perto, não interessa, faz parte de mim. Transborda. E ele sabe disso...

Filhos são uma viagem sem volta ao paraíso e ao inferno de nós mesmos.

E o meu filho é a melhor coisa que já aconteceu na minha vida!
"Filhos, melhor não tê-los, mas se não tê-los como sabê-los?" - Vinícius de Morais.

Eu sei. Sou mãe.
Amo você eternamente, meu anjinho. Seja feliz!
Bárbara Félix.

terça-feira, 21 de abril de 2009

Polvo cheio de tentáculos

A cada dia que passa, tudo que sinto me surpreende.
Acreditar em coisas estabelecidas como se programar pra apaixonar, casar e ter filhos sempre foi impossível pra mim, pois sigo meu coração.
Só que agora ele segue a cabeça. Infelizmente os dois vivem se perdendo um do outro.
Assim como duas pessoas que se gostam.
Sempre em duplas.
Por que sempre se desencontram? Por não falarem a mesma língua? Por que não pode haver um equilíbrio? Por que não há comunicação? Explicações em algum livro?
Meu coração estava completamente perdido da minha cabeça... Quando um funcionava, o outro parece que parava.
Estabeleci um canal de comunicação entre os dois... Parece que agora funciona.
Não tem que ser assim com os relacionamentos? Por que não há comunicação?
Por que o medo tão grande de se entregar se de qualquer forma o amor acontece de algum lugar? Por que não assumir que gosta e sair gritando por aí? Não tem jeito de controlar isso. Não meeesmo. Não existe idade, nem corpo nem nada que mude isso tudo... Coisa inerente à raça humana.
Não tem como programar uma pessoa exata pra se apaixonar. Nos apaixonamos por detalhes nos outros. Jeito de olhar, de andar de carinhar, de encostar, de falar, de agir, de beber leite...
São sempre surpreendentes. Sempre.
E nos pegam de jeito. Nos enlaçam como um polvo cheio de tentáculos.
Descobri que o melhor é não programar nada, isso só causa mais sofrimento. Mas sim nos adaptarmos às situações.
Equilíbrio.
Me abraça, polvo?
Estou tão cansada de só eu abraçar o ursinho....
rsrs.

segunda-feira, 20 de abril de 2009

Salvação


“Nada que valha a pena fazer pode ser realizado em nosso tempo de vida;

portanto, precisamos ser salvos pela esperança.

Nada que seja verdadeiro, belo ou bom faz total sentido no contexto imediato da história;

portanto precisamos ser salvos pela .

Nada que façamos, por mais virtuoso que seja, pode ser realizado apenas por nós;

portanto, precisamos ser salvos pelo amor”.

Reinhold Niebuhr

domingo, 19 de abril de 2009

(O constante, a duração)

Não ser constante no próprio caráter é vergonhoso. Perseverar nisso traz humilhação. Conturbado interiormente por estados de ânimo provocados pelo mundo exterior.
Quando esperanças e temores se alternam, perde-se a seqüência interior do próprio caráter. Isso leva constantemente a experiências penosas, cuja causa pode estar em alguma coisa na qual não se tinha pensado. E isso não tem relação com o mundo exterior, mas com disposições da natureza interior de cada um.

I ching, Livro milenar chinês.
Hexagrama 32, 9 na terceira linha.

A fila anda.

Em uma cidade com tantas filas pra tudo como São Paulo....
Percebemos que toda fila...
anda!
Que ma-ra-vi-lha.

sábado, 18 de abril de 2009


Preciso parar de fumar.
Mas possuo uma teoria sobre o porque de sempre parar e voltar com essa coisa:
Para mim, é um vício estético... Como amo pequenas delicadezas... Adoro os desenhos de fumaça dos cigarros. Adoro soprar formas esquisitas e ondulantes, especialmente contra feixes de luz solar.
Além disso sou apaixonada pelas grandes divas, e todas tem uma foto com cigarro na mão, e vamos combinar que fica sexy mesmoooo. Isso ficou marcado nas minhas referências estéticas.
O cigarro é o maior sucesso de formação da própria imagem que já existiu e perdurou.
Quem já não achou o cowboy da Marlboro a imagem do macho? Quem nunca pensou em Marlene Dietrich como sex bomb?
Já inventaram um cigarro elétrico, que solta fumacinha de vapor. blergh. Deve ser horrível.
Enquanto escrevo vou fumando outro cigarro.... mentolado. rs.

Eu quero um pecadinho...

Se não te lembras da mais ligeira loucura que o amor te fez cometer, não amaste.
William Shakespeare.

Amor e loucura andam de mãos dadas.
Será que sou louca por amar de verdade?
ou amo de verdade porque sou louca?
Que inferno.
Ai tem hora que eu me canso e não quero mais saber de nenhum dos dois.
Af.
Não consigo ser de outro jeito. E estou farta de brigar comigo mesma...
Melhor assumir que é assim e pronto neh?
e chega.
How many loves... make a life?
How many times can you.. fall in love?
Eu quero um pecado bem grande pra me livrar das minhas paixões um pouco. Ao menos.
rsrs
Que nada! Eu quero uns pecadinhos variados... rs
prefiro caixa de bombons sortida.

Lilith pensativa.

sexta-feira, 17 de abril de 2009

Western Girl


Adorei o que uma amiga (Leila) minha disse outro dia:
Eu comentei que moro na Pompéia, e ela falou nossa, você mora na zona oeste. Você é uma "Western girl"! Eu moro no centro, eu sou "Downtown girl".... rsrsrs
Adorei!
I'm a Western girl.
Não poderia ter mais a ver....

quinta-feira, 16 de abril de 2009

Mercury tears.


A pressão sobe.
No sangue.
No corpo.
Quente.
Ferve.
Borbulha.
Preciso dançar.
Doer em alguma coisa
que não sei explicar.
Ficar bêbada de lembranças...
Música entrando em mim.
Sou pauta?
cheia de notas.
Oscilantes...
De bolhas de sabão,
Voláteis.
Gota de mercúrio,
passeia pelo labirinto
da mente,
sexo - tóxica.
Aprisionada.
Crucificada com cravos
invisíveis.
A gota tóxica
finalmente deixa a mente,
pelos olhos,
janelas d'alma.
Foge pelo rosto,
satisfeito por expulsá-la.
Prazer...
Nas lágrimas de mercúrio.

Lilith Blue.

All you need is love.


O amor que pode ser medido não é amor em absoluto.
O amor é livre de amarras.
Sem cobranças.
Livre.

(rs. Lindo falar assim né? O inferno é que as cobranças e os sentimentos invasivos sempre aparecem. Por isso que quando aparecem ultimamente, mesmo em mim mesma - principalmente em mim mesma - eu saio correndo assustada como uma coelhinha! Medo de sentir de novo, credo. Ainda bem que ando escrevendo e carinhando gatos de amigos pra extravasar um pouco...
Acho que vou adotar um gatinho carente. rsrsrs)

Hace algún tiempo


Hace algún tiempo
fuimos todas las películas de amor mundiales
todos los árboles del infierno.
Viajábamos en trenes que unían nuestros cuerpos
a la velocidad del deseo.

Como siempre, la lluvia caía en todas partes.
Hoy nos encontramos en la calle.
Ella estaba con su marido y su hijo;

éramos el gran anacronismo del amor,
la parte pendiente de un montaje absurdo.
Parece una ley: todo lo que se pudre forma una familia.

(não sei de quem é, só sei que é espanhol. Encontrei em um blog madrileño e postei aqui)

Lilith melancólica.

Aí é uó.

Frase com cinco vogais que não se repetem, um verbo e um adjetivo.
"Aí é uó".
Robson Ribeiro.
Óteeemo. kkkk

Bricolage.


Crio!
Dou forma ao meu corpo,
à minha mente,
à minha vida,
à coisas,
através de paixões avassaladoras,
que me arrasam por dentro,
por delicadezas da vida,
pequenas, sentidas,
como pétalas de romances perdidos,
caídas ao chão,
depois de terem sido flores prediletas
do jardim de alguém.

Recrio!
Reformando a forma,
revoltando a ordem,
bricolage.
Das minhas pétalas voadoras,
de romances perdidos,
os recrio realizados.
Em um jardim meu,
No quintal de sonhos.

terça-feira, 14 de abril de 2009

O que fazer?




Que eu faço com você?
Arquivo... Deleto...
Crio uma pastinha nova dentro da que já existe?
Crio uma outra novinha em folha?
De onde você me conhece?
De quando eu te conheço?

I say shut your mouth because the angels are listening...
You can hurt me, do whatever you like...
Only the one that hurts you... can make you feel better...
Only the one who inflicts the pain... can take it away.
I only hurt the ones I love....
And I want to be loved.
Let me see you stripped down to the bones...
Fuck the pain away!
Cross the sky and still bring me some clouds...
To feed my love.

(juro que continuarei postando todas as nuvens que eu conseguir pescar no céu aqui. Mas quando ele estiver limpo e não houver nuvens, postarei algodões doces!)

Lilith Blue - hurts better.
(ah, e obrigada ao Cariño que me apresentou a banda do vídeo. Amei. Minha cara mesmo.)

segunda-feira, 13 de abril de 2009

Manufatureira eu? kkkkk.


Senti vontade de comentar sobre esse assunto aqui, pois é estranho como no Brasil as pessoas desvalorizam os sentimentos dos outros com relação ao que decidem da própria vida.
Eu aceitei uma encomenda aqui em SP, de uma loja do Itaim que paga absurdamente barato pelo meu produto (coisas feitas com flores de tecido). Eu só aceitei pois era de uma amiga de um amigo, e que seria feita a tal da encomenda em janeiro. Eu me atrapalhei inteira pois contei com isso e como trabalho sozinha ainda, não poderia estar ocupada ou envolvida com mais nada pra atender este pedido... Fiquei à toa esperando, depois me passaram um monte de coisas ao mesmo tempo, e ainda faziam pressão tipo, desvalorizando o que faço... Enfim, entreguei e me livrei da pior coisa que poderia ter aceitado aqui neste momento...
Todo mundo sabe que no exterior o "hand made" é altamente valorizado, e exportado como algo precioso. O Brasil é um campo valioso para exportar esse tipo de produto, óbvio... Tá na cara.

Desde que cheguei aqui em sampa, muitas pessoas olham pra mim pensando: você não vai ficar fazendo flores a vida toda né? O que querem? Que eu preste concurso público? kkkkkkkk, ou trabalhe no Bom Retiro pros Coreanos? (vou apanhar... k)
Acho engraçadíssimo que pensem que me rebaixei, partindo por querer um trabalho "hand made". Como se atuar como professora universitária nessa merda de país mal governado fosse realmente algum status assim tão venerável.
Eu fui professora universitária por 3 anos e meio, sou formada por uma faculdade de Design de moda federal, estudei no exterior, fiz alta costura com senhoras que trabalharam com Balenciaga na Espanha, conheci vários lugares da Europa, e pra quê? Pra decidir valorizar o que tenho em casa, kct. Sempre quis ir pra "Paris"achando que era o máximo e simplesmente vi que não era porcaria nenhuma disso tudo que diziam.
Minha primeira coleção em uma empresa foi patrocinada pela Swarovski, com duas tops desfilando e ainda saiu em revistas nacionais, e eu nem formada estava ainda. Decidi que queria algo que pudesse controlar ao invés de ser controlada, mesmo que isso me custasse mais caro na vida.
Eu tenho uma história na minha família de pessoas que trabalham com criatividade e suas mãos.
Eu não sou uma simples manufatureira, sei exatamente onde quero chegar! Não vendo flores de tecido simplesmente, vendo a idéia de fazer coisas com amor passadas de geração em geração.
As minhas flores representam a idéia de uma família com mulheres maravilhosas! E isso não significa que eram doninhas de casa fazendo coisinhas de mulherzinhas com maridinho em casa não. Minha avó sustenta a casa dela com suas flores, minha madrinha também é formada em artes pela Universidade Federal, e faz bijouxs...
Minha mãe era engenheira agrônoma, meu pai médico psiquiatra, mas todos eles eram ligados às artes, como teatro, pintura, desenho e outras coisas que envolvem mãos e sentimentos... Fui criada assim.
Não me rebaixei, me decidi por isso!
Talvez eu até tenha um romantismo exagerado nisso tudo... Mas não importa. Faço o que acredito. Quero as flores da minha avó espalhadas pelo mundo. E vou conseguir. Meu foco não é São Paulo, nunca foi. Só estou aqui, pois acho mais fácil divulgar as coisas partindo dos grandes centros... Lógico, aliás.
O resto será consequência, venha o que vier.
E continuarei rindo da cara de quem acha que tenho que ser advogada, odontóloga, médica, ou professorinha, ou até mesmo artista cheia de pose arrogante pra ser respeitada. Isso é coisa de gente antiga que quer que os filhos se "deêm" bem, ou coisa de gente metida a besta que acha que arte é arrotar faisão (e olha que pra mim, faisão é só uma galinhona mais fashion na roupinha, k).
Hoje em dia, todo mundo pode ser o que quiser, aliás viva a diversidade! Com tantos campos em aberto, podemos finalmente ser músicos, artistas, blogueiros, e inclusive enriquecermos, ficarmos famosos e tudo o mais.
Povo idiota, eu hein?
Sou designer, artista e essencialmente brasileira!
Desejo sinceramente que esse tanto de gente frustrada, que não possuem a coragem pra pegar as rédeas do que realmente querem pra si, se resolvam nem que seja depois de gastarem toda a grana que ganham em psicólogos e drogas lícitas ou não...

Bárbara Félix.

domingo, 12 de abril de 2009


Qualquer coisa que você possa fazer, ou sonha que possa fazer, comece por fazê-la.
A ousadia tem em si, genialidade, força e magia.
Goethe.

sábado, 11 de abril de 2009

Com o jeito dos gatos.


Ai que preguiça...
Quero um raio de sol da manhã.
Cheio de poeira estelar...
Como glitter.
Entregando-me no chão ao que é quente...
Olhos semi cerrados...
Realidade mesclada ao sonho.
Lúdico carinho das coisas do apartamento
texturas, objetos, música
e luz....
Flutuando...
Sem me perder do mundo.
Ronronar como os gatos...
Enroscando em você...
Que está em algum lugar...
Dentro de mim.
Preenchendo todas minhas falhas...
como água incessante que adentra tudo.
Vaca amarrada na lua...
cheia do meu amor.
Vou matar todos os dragões que a habitam!
Nem que seja para dar um beijo eterno de despedida...
E acordar.
Em carne e osso.
Ao seu lado...

Lilith Blue